"Livro de Finalistas do Jardim Infantil e 1º ciclo "

 

 

Poema / Dedicatória da Mãe ao filho (a):

Mais uma etapa na tua vida
que vences com sucesso!
Mais um degrau que sobes
forte e feliz!
.
És a minha esperança
num futuro cada vez melhor.
.
Que nunca desanimes
perante as dificuldades
e assim vencerás
as contrariedades.
.
És o motor que faz
Bater o meu coração.
 

Filo


 

Teu caminho longo se avista num túnel perdido
Numa imensidão de curvas e mais curvas,
As curvas difíceis da vida que agora começa
E que mais tarde se alisa com teu sucesso.

 

Mais uma etapa vencida a meu lado,
É apenas o que espero pela tua vida fora.
Que eu possa estar sempre, nos bons e maus momentos
Guardada no mais íntimo do teu coração.

 

Que a esperança que tenho em ti
Se alimente com meus mimos,
Meus carinhos de ajuda eterna,
E te faça homem de amanhã.

 

Nunca percas a esperança nem a força,
Sê persistente mesmo quando caíres
Alimenta-te de mim e vencerás
Até mesmo quando eu não estiver por perto.

 

Tenho fé em ti, sei que vais vencer.
Escuta sempre o teu coração nas horas difíceis
E nunca te esqueças na vida,
Que o teu caminho és tu que o constróis.

 

Mãe só existe uma, a que acredita em ti!
Yaleo
 


 

Meu filho, doce e ternura

já és finalista da primária

cumpristes essa missão

continua com dedicação

no meu colo tens a doçura

não há nenhum igual 

abrigo de amor e confiança

p'ra venceres a secundária

já que és o futuro de Portugal

Fatyly

 


 

 

O PRIMEIRO TRIUNFAR!
.
.
Saído de um pequeno casulo
Caminhaste degrau a degrau
No crescimento até aquela imensa porta
Que hoje acaba neste primeiro triunfo!
Juntos caminhámos nesses degraus
Que a vida nos foi dando
Com tristezas e alegrias
Como as cores do arco-íris..
Com sorriso e lágrimas
Reflectidas no quadro onde passearam
As vogais e consoantes, e
Os números das várias operações
No aprender e descobrir!
Hoje vai fechar-se (aquela porta) que já conhecias de cor.
Está terminado o primeiro triunfo, e
Amanhã começa um novo Mundo
Onde o crescimento da aprendizagem
Será tão maravilhoso quanto o teu crescer!
A ti meu filho..
obrigado por teres saído do meu casulo!
.
.
{{coral}}
20/5/2005


És um barco pequeno
que no mar começa a navegar
tens o olhar no horizonte
a vontade de lá chegar...

A doçura de um filho
A alegria dos seus pais
Completa esta nova etapa
Os sonhos tornam-se reais!

Um grande beijinho

Azoriana


Sabes? toda a gente foi bébé
Einstein, Freud e Platão também
Hitler, Bush e Saddam Hussein
Quem tem dinheiro e quem não tem

Sabes? Toda a gente teve infância
Maomé já foi criança
Arquimedes, Buda, Galileu
e também tu e eu

Sabes? Toda a gente teve medo
Mesmo que seja segredo
Anglo-saxão ou muçulmano
Todo e qualquer ser humano

Sabes? Toda gente teve pai e mãe
Índio, africano ou alemão
Lao-Tsé, Gandhi, Mike Tyson, Pelé
Nero, Che Guevara e Pinochet

Por tudo isto, nunca desistas...

(adaptado) Carla
 


Poema para musica de Adriana Calcanhoto "sou assim sem você"

Logo pela manhã, beijo à mamã
São eles indo p’ra escola
Saindo de casa, livros na sacola
São eles indo p’ra escola

Terá de ser sempre assim
Os seus sonhos não têm fim
Eles querem chegar longe
Biólogos, doutores, médicos, senhores, enfim…

São amores bem sujinhos, batas com remendinhos
São eles vindo da escola
Sapatos com buraco, chegam com grande abraço
São eles vindo da escola

Ansiosos p’ra os ver chegar
Ansiosos p’ra os ter nas mãos
Dar-lhes aquele abraço, ficar um bom pedaço
Juntinho ao nosso coração

Não existimos longe deles
E a sua ausência é um grande castigo
Contamos as horas p’ra os ver chegar
Mas o relógio teima em não andar

Porquê? Porquê?

Alguns levam chupeta, outros a baeta
São eles indo p’ra escola
Brinquedo na mochila, um docinho com chila
São eles indo p’ra escola

Terá de ser sempre assim
Os seus sonhos não têm fim
Eles querem chegar longe
Biólogos, doutores, médicos, senhores, enfim…

Não existimos longe deles
E a sua ausência é um grande castigo
Contamos as horas p’ra os ver chegar
Mas o relógio teima em não andar

Não existimos longe deles
E a sua ausência é um grande castigo
Contamos as horas p’ra os ver chegar
Mas o relógio teima em não andar

Carla

 

 

Participantes: Filo, Yaleo, Fatyly, {{coral}}, Azoriana, Carla - 19 Maio 2005
 

Livro de Visitas   |   Email

n

 

Navegue Pelo meu Site